Política de Privacidade e SegurançaSugira este site a um amigoAdicione aos Favoritos
 

   O Que Fazemos

Clareamento Dental Total



  • Clareamento caseiro

  • Clareamento no consultório

Restauração Imediata com Resina



  • Restaurações de dentes anteriores.

  • Selamento com obturações profiláticas.
    Este procedimento é feito com o uso de um aparelho especial. Ao invés da cavidade ser aberta com motor, utilizamos um jato de óxido (micro abrasão) para a limpeza de cáries incipientes . Este procedimento também é utilizado para selar os sulcos e fissuras de dentes jovens com o intuito de obliterar áreas susceptíveis à cárie pela dificuldade de limpeza, como citamos no capítulo Dicas sobre higiene e saúde oral.

  • Restaurações de dentes posteriores.

  • Reconstrução de dentes fraturados.

  • Fechamento de diastemas.

Próteses Parciais Fixas
     Através das próteses fixas restauramos os dentes com grande perda de estrutura dentária. A grande destruição do dente contra-indica o tratamento com resina e devemos lançar mão de materiais de maior resistência.
     O que determina o tipo de tratamento protético é a quantidade de destruição do dente ou até mesmo sua ausência. Vejamos em seguida o que significa os nomes que adotaremos para os tipos de trabalho de prótese fixa e os materiais que poderemos utilizar para cada trabalho.


Bloco ou Restauração Parcial


Definição: É a reconstrução parcial do dente.
Materiais Utilizados: Resino - Cerâmicas, Porcelana Pura, Porcelana Reforçada e Metais Nobres.


Facetas de porcelana


Definição: Lâmina de porcelana colada na parte da frente dos dentes (face estética) para corrigir imperfeições estéticas de cor e forma
Materiais Utilizados: Porcelana Pura e Porcelana Reforçada.


Coroas


Definição: Cobertura completa de toda a parte visível do dente, através de uma capa cimentada à uma porção reduzida do dente ou um pino radicular.
Materiais Utilizados : Ligas Metálicas, Métalo-Cerâmica, Porcelana Reforçada.


Pino Radicular


Definição: Base para colocação da coroa, é utilizado quando se está tratando um dente muito destruído e/ou que foi submetido à tratamento de canal.
Materiais Utilizados: Ligas Metálicas (feito em duas sessões) e Titânio mais Resina (feito em uma sessão - imediato ).


Ponte Fixa


Definição: Reposição de um ou mais dentes ausentes, unidos à dentes vizinhos ou implantes. Quando unidos à dentes naturais é necessário a confecção de coroas ou blocos nos dentes que suportarão a ponte fixa (retentores). Quando retidas em implantes as próteses são aparafusadas ou cimentadas aos mesmos sem o envolvimento de dentes.
Materiais Utilizados: Porcelana Reforçada e Métalo-Cerâmica.


     Nesta especialidade estão incluídos 60% dos tratamentos realizados pelos dentistas. As próteses fixas são um fator de prevenção de problemas maiores causados pela destruição ou ausência de dentes. Uma coroa, por exemplo, pode fortalecer a raiz, impedindo que dentes muito destruídos se fraturem.


     Uma prótese parcial fixa necessita de no mínimo 2 consultas para sua execução. Em uma primeira consulta é feito um desgaste adequado do dente, um molde para obter uma cópia do desgaste e uma restauração provisória. A restauração final é confeccionada no laboratório de prótese e em uma nova consulta, fazemos a colagem desta ao dente.


     Em linhas gerais veremos abaixo quais são os materiais disponíveis para realizarmos tratamentos com próteses parciais fixas.


Resino-Cerâmicas


     A Resino-Cerâmica foi um material desenvolvido a partir da união das resinas com partículas cerâmicas. Esta gama de materiais tem melhorado muito de qualidade e tem um futuro promissor na odontologia estética. Com boa maleabilidade e resistência à fratura, tem ótima indicação para confecção de blocos da cor do dente.


     Suas indicações são praticamente as mesmas da porcelana (pura ou sobre metal), mas ainda não tem a admiração da comunidade científica para trabalhos extensos como Coroas e Pontes. Este material por ter característica maleável, em alguns casos está indicado para próteses sobre implantes (prazo de durabilidade médio de 5 anos).
- Restaurações Parciais.
- Blocos.
- Próteses sobre Implantes.


Restaurações Metálicas (ouro branco/amarelo)


     Apesar da sua deficiência estética por ser metálica, sem dúvida foi a restauração eleita como a mais resistente e duradoura nos últimos anos. Sua grande indicação se resumiu aos dentes que "não aparecem". Mas em alguns tratamentos, como em pacientes com mordida severa, sua indicação se torna crucial (prazo de durabilidade médio de 10 anos ou mais ).
- Restaurações parciais
- Blocos metálicos.


Coroas Métalo-Cerâmicas (ligas metálicas recobertas por porcelana)


     As coroas Métalo-Cerâmicas estão sendo usadas por mais de quatro décadas em coroas e pontes fixas. Este material tem boa estética e ótima durabilidade, mas com o aparecimento das porcelanas reforçadas, ficou com uma indicação mais restrita a pontes fixas extensas sobre dentes e implantes. O maior inconveniente deste material é a aparência acinzentada da área próxima da gengiva quando ela é fina ou retraída (prazo de durabilidade médio de 10 anos).
- Coroa Métalo-Cerâmica.
- Próteses Fixas.
- Próteses sobre Implantes.


Porcelana Pura e Porcelana Reforçada: In-Ceram , Procera e Cerec III


     Esses modernos materiais se caracterizam pela beleza estética e melhora da resistência, mesmo com a ausência do metal usado nas coroas métalo-cerâmicas. É válido lembrar que porcelana não deixa de ser um vidro e todas as coroas (com ou sem metal) estão sujeitas à fraturas esporádicas. As coroas realizadas com porcelana reforçada tem a mesma indicação das métalo-cerâmicas, com a limitação para a realização de próteses fixas extensas sobre dentes ou implantes.


     Apesar de ter um investimento maior, algumas vantagens garantem a esses materiais o título de materiais de escolha para coroas de dentes isolados (In-Ceram, Procera e Cerec III). Como exemplo podemos citar: a estabilidade da cor, a biocompatibilidade e a aparência mais próxima com o dente natural devido a ausência plena do metal.


     Ultimamente uma inovação tecnológica criou o Sistema Cerec III, que opera através de um scanner que capta a imagem do desgaste feito no dente pelo dentista, e informa a um torno que fabrica imediatamente a restauração. Através deste sistema sua restauração é feita em 30 min e não existe necessidade da fase de laboratório de prótese.


     Existem alguns inconvenientes nas restaurações de porcelana pura. Elas não têm nenhum reforço e acabam em muitos casos, fraturandos. Por isso, às vezes perdem das resino-cerâmicas nas indicações de restaurações parciais. Facetas de porcelana pura tem boa indicação para dentes superiores com anomalia de cor e forma, que não possam ser corrigidos com resina e clareamento, o que é muito raro. Vejamos agora o que podemos fazer com as restaurações de porcelana pura e reforçada (prazo de durabilidade médio de 10 anos ou mais):
- Restaurações Parciais
- Blocos de Porcelana Pura.
- Facetas Laminadas de Porcelana.
- Coroas totais de In-Ceram.
- Coroas totais de Procera.
- Próteses fixas em dentes anteriores de In-Ceram.
- Coroas sobre implantes de In-Ceram.


Implantes


     Implantes foram criados para serem bases (raízes artificiais). Com o apoio dessas novas "raízes" os trabalhos protéticos a serem realizados serão os mesmos que realizamos com raízes de dentes.


     O que varia nas próteses sobre implante, é a possibilidade de aparafusar ao invés de cimentar, o que torna a manutenção mais fácil. Em linhas gerais, as próteses sobre implante podem ser fixas ( inerentes a substituição de 1 ou mais dentes) ou removíveis . Mas mesmo nas próteses removíveis uma parte do conjunto estará aparafusada aos implantes.


     Os implantes propriamente ditos, já foram abordados anteriormente. Abaixo citamos alguns tratamentos protéticos que podem ser realizados com implantes (prazo de durabilidade médio de 15 anos).
- Prótese fixa unitária cimentada.
- Prótese fixa unitária aparafusada.
- Prótese fixa múltipla aparafusada.
- Overdenture com 2 implantes.
- Overdenture com 4 implantes.
- Overdenture com MK1.


Periodontia (Tratamento da gengiva)


      Esta especialidade trata os tecidos de suporte dos dentes. O acúmulo de placa e tártaro nos dentes levam a perda de tecido de suporte dos dentes É ela que prepara a raiz do dente para receber os trabalhos protéticos.


     Chamamos de doença periodontal às enfermidades da gengiva e outros tecidos que suportam o dente. Ela acomete um grande número de pessoas. Apesar de ser uma doença destrutiva e que provoca a perda de muitos dentes, tem sua evolução lenta e com poucos sintomas. Só através da avaliação radiográfica de todos os dentes e de um meticuloso exame clínico, podemos chegar ao diagnóstico desta doença.


     A periodontia cuida do tratamento e controle da doença periodontal. Em sua maioria, o tratamento consiste da limpeza dos dentes através do ultra-som e raspagens manuais, além de cirurgias gengivais de reparo ou regeneração. Esta também é responsável por cirurgias que podem harmonizar o tamanho dos dentes e preencher espaços gengivais reabsorvidos. Vejamos o que pode ser feito em periodontia:
- Tratamento periodontal por ultra-som e raspagens.
- Tratamento periodontal pré-reabilitação.


Tratamento da oclusão e disfunção da ATM


     Oclusão é o nome dado ao encaixe e desencaixe dos dentes. Quando existe algum problema nesta harmonia alguns sintomas como dor de cabeça, zumbidos no ouvido e estalos na articulação do maxilar, poderão ser notados. Sabemos que mais de 40% da população apresenta algum sintoma deste problema, e que sem dúvida, mais de 50% das dores de cabeça são ocasionadas pela disfunção do sistema mastigatório.


     Sabe-se que um dos grandes componentes no aparecimento de dores de cabeça/face é o stress. O stress emocional leva ao aumento da atividade muscular e algumas pessoas inconscientemente apertam fortemente os dentes durante o dia ou dormindo. Isso leva à uma sobre carga do sistema muscular, causando dores pelo excesso de trabalho dos músculos.


     Nem sempre a oclusão inadequada leva à problemas de dor no sistema mastigatório, mas quando um quadro grave de dor muscular na face está presente, existe um problema oclusal. O que determina o aparecimento da dor e desconforto é a predisposição individual de cada um.


     Desgastes severos nos dentes poderão ser notados em algumas pessoas. Este quadro é consequência do ranger dos dentes e é conhecido como bruxismo. Deve ser recomendado para estes pacientes, o uso de uma placa de proteção noturna (placa mio-relaxante). Esta placa relaxa a musculatura fazendo com que o processo de ranger os dentes diminua, além de protegê-los do desgaste.


     Um dos principais objetivos da Reabilitação Oral é a correção da oclusão. As coroas ou demais trabalhos protéticos são elaborados e ajustados em aparelhos especiais, chamados articuladores semi-ajustáveis que facilitam o alinhamento da oclusão em harmonia com a face. Por conta disso idealizamos nossa logomarca.


Endodontia


     O tratamento de canal consiste na remoção da parte interna do dente (nervo), sua limpeza e obturação. O nervo é responsável pela sensibilidade do dente à dor. É errado afirmar que um dente que foi submetido à um tratamento de canal esteja morto. Ainda permanece viva toda a sensibilidade externa do dente e sensações como tato e pressão.


     Existem vários motivos pelos quais há necessidade de tratamento endodôntico. O mais comum é a chegada de bactérias da cárie ao "nervo" do dente (polpa). Quando isso acontece, devemos então proceder o tratamento de canal, para que sejam removidas todas as bactérias deste.


     Uma outra causa bastante comum é a morte do nervo por algum traumatismo. O trauma pode ser um tombo, uma pancada nos dentes, algum acidente automobilístico, um trauma causado por problemas de oclusão como o bruxismo e até mesmo como complicações de um tratamento ortodôntico.
 
 Em alguns casos, mesmo que os dentes já tenham tido o canal tratado anteriormente, há necessidade de retratamento, pois as bactérias nele existentes, não foram complemente eliminadas e continuam causando problemas. Por muitas vezes são dentes que voltam a doer ou que poderão vir a doer no futuro. Nesse caso faremos a remoção de todo o conteúdo existente anteriormente no canal, limpando e desinfetando, para se ter a certeza de que todas as bactérias serão eliminadas.


     É valido lembrar que alguns dentes (15%), não respondem com sucesso ao tratamento de canal, e nestes casos, pode ser necessária uma cirurgia que complemente o tratamento de canal ou até mesmo a extração do dente. Em alguns casos o uso de anti-inflamatórios e antibióticos se fará necessário durante o tratamento de canal.
 
Atenção
     Como consequência de um traumatismo o dente pode se deslocar de posição ou até mesmo se soltar da arcada. Em ambos os casos um dentista deve fazer um exame e radiografia imediata para que seja avaliada a proporção do traumatismo. Em especial quando o dente se soltar da boca ( Avulsão ), é imperativo que algumas providências rápidas sejam tomadas para que possamos reimplantar esse dente com sucesso.
1. Caso você tenha um dente avulsionado, ache-o pegando-o pela coroa (área mais clara).
2. Lave o dente com soro fisiológico ou água corrente.
3. Tente recolocá-lo em posição mesmo que doa um pouco.
Obs.: Por muitas vezes os dentes não avulsionam, mas saem de posição, nestes casos é importante que eles sejam recolocados em posição o mais rápido possível.
4. Se não for possível recolocá-lo no lugar, deve-se mergulhá-lo num copo com soro fisiológico ou leite.
5. Procure um DENTISTA imediatamente, pois quanto mais rápido agirmos (2 hs), melhor será o prognóstico final.
6. O dentista fará o reimplante e uma amarria com fio de nylon e resina (semi-rígida)
 
 
Próteses Removíveis

     As próteses removíveis, como o próprio nome diz, são aquelas que os pacientes deverão retirar da boca para fazer a higiene. As próteses removíveis se dividem em:
     1. Prótese Parciais (PPR): Aquelas que são "presas" em alguns dentes ou implantes e na mucosa gengival.
     2. Prótese Total (Dentadura): Que é apenas "presa" por justa posição na mucosa gengival.


     A PPR pode ter grampos que se alongam no dente para estabilizar a prótese. A esta chamamos PPR à grampo. Ela tem uma grande desvantagem estética, devido ao aparecimento do metal dos grampos, mas do ponto de vista bio-mecânico é um tratamento bom e conservador. Em uma versão mais sofisticada, os grampos poderão estar "escondidos" dentro de coroas métalo-cerâmicas, por trás. Chamamos isso de Encaixe. As próteses totais ocupam uma grande extensão da boca e são usadas na ausência completa de dentes. Este tipo de trabalho, em muitos casos, apresenta problemas de retenção o que indica a utilização de implantes para melhorar sua estabilidade.
- Prótese Removível Simples.
- Prótese Removível de encaixe.
- Prótese total Caracterizada.
 
Cirurgias

     As cirurgias mais executadas em consultório odontológico que ainda não foram citadas são as extrações dos terceiros molares (cisos) e as frenectomias (remoção de excesso do freio labial ou lingual ). Na grande maioria dos pacientes os cisos não nascem ou ficam em posição de difícil limpeza, o que geralmente causa problemas como infecções gengivais e abscessos. As frenectomias são necessárias quando os freios do lábio ou da língua estão com tamanho aumentado e dificultam a mobilidade destas estruturas.


     Geralmente as cirurgias são feitas dentro de um protocolo parecido com o já descrito anteriormente. Para agilizar o atendimento e encurtar a agressão, são necessários cuidados de assepsia e uma equipe com 2 dentistas e 1 ou 2 enfermeiras de sala. Veja a seguir os cuidados inerentes ao seu pré e pós-operatório


Pré-operatório:
1. Preencha atentamente o questionário de saúde.
2. Pode ser necessário exames de sangue e coagulação.
3. No dia da cirurgia não coma nem a mais nem a menos do que esteja     acostumado.
4. Em muitos casos 3mg de Lexotan ajudam na ansiedade pré-operatória


Pós-operatório:
1. Gelo Local - Aplicar vaselina ou creme hidratante na bochecha no local correspondente à cirurgia. Em seguida aplique a compressa de gelo diretamente na face, dando alguns intervalos para não queimar a pele com o gelo. O gel irá derreter e deve ser recongelado para nova aplicação. Faça isso o maior número de vezes possível por 24 hs.
2. Hemorragia - Um pequeno sangramento é normal. Caso ocorra, coloque uma compressa de gaze no local e morda por 15 min. Se o sangramento continuar, entre em contato conosco.
3. Repouso - Evite esforços físicos por pelo menos 3 dias. Descanso nas primeiras 24hs é fundamental.
4. Dor - Algo de errado deverá estar acontecendo se você necessitar tomar analgésico por mais de 2 (dois) dias. Portanto, entre em contato.
5. Alimentação - Não há impedimento de comer o que você tolerar, seja sólido ou líquido, quente ou frio, porém, cuidado com os excessos.
6. Higiene - Não escove o local da cirurgia. A limpeza desta área será feita pelo bochecho com o Periogard (anti-séptico). No resto da boca, escovação normal. Existem outros problemas na boca ou face que são resolvidos através de cirurgia de maior vulto. Caso isso seja necessário iremos lhe encaminhar a um especialista denominado Cirurgião Buco-Maxilo-Facial.
 
 




Comentários e SugestõesPerguntas FrequentesContactosTratamentosConcurso
Seara.com